29 March, 2019

Negociação deve priorizar equilíbrio entre as partes

Thomas Jefferson Albuquerque, advogado da Fecomércio-PE, durante sua palestra no

Crédito: Christina Bocayuva

Thomas Jefferson Albuquerque, advogado da Fecomércio-PE, durante sua palestra no Workshop

Os aspectos relacionados aos objetivos da negociação coletiva foram abordados na tarde de quinta-feira, 28 de março, na sequência do workshop Prática da Negociação Coletiva, promovido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Thomas Jefferson Gomes de Albuquerque, advogado da Fecomércio-PE e especialista em negociação coletiva do trabalho, falou sobre a sua vivência com o tema, considerando que uma boa negociação coletiva é realizada, sobretudo, com respeito entre as partes. “A negociação coletiva bem-sucedida deve traduzir a realidade e as necessidades das partes envolvidas. Para isso, ambos precisam sair satisfeitos. É preciso manter um bom relacionamento, respeito e confiança entre os negociadores”, disse.

Para o advogado, é preciso estar muito atento às mudanças no cenário pós-reforma trabalhista e ter predisposição para negociar, ainda que leve mais tempo que o esperado. “O tempo ideal para a negociação é o tempo necessário para se atingir todos os objetivos traçados no início.”

Outro fator que traz credibilidade é respeitar os termos que foram acordados nas convenções e saber dar ampla divulgação aos resultados das negociações. “Muitas vezes, as empresas não têm a percepção de que algumas cláusulas das convenções são fruto do trabalho da entidade patronal. Então, é preciso que as entidades aprendam a dar publicidade das suas ações”, completou Thomas Jefferson.

Construção da pauta patronal

Na negociação coletiva, é importante saber construir bem a pauta patronal, com reivindicações que também representam o que é de interesse do empresário. A opinião é de Fernando Marçal, assessor jurídico da Fecomércio-SP, que realizou a palestra A Construção da Negociação Coletiva.

Fernando ressaltou que, antes da reforma trabalhista, falar em uma pauta patronal era visto como impensável. “A reforma trabalhista tem como princípios norteadores a autorregulação de impasses, a racionalização do processo judicial e o equilíbrio entre direitos e deveres. Com a flexibilização que a reforma trabalhista trouxe e com a valorização da negociação coletiva, agora ficou possível levar as reivindicações do lado patronal”, completou.

O advogado lembrou ainda que a negociação é uma obrigação da entidade sindical, prevista na Constituição, e que está vinculada à representação de cada categoria. “O sindicato passou a ter mais atribuições após a reforma trabalhista e precisa assumir essa responsabilidade. Saber construir essa pauta de forma equilibrada é fundamental”, afirmou Fernando Marçal.

 

Vólia Bonfiim (Crédito: Christina Bocauyva)

Fechando o workshop, a desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 1ª Região, Vólia Bonfim, ministrou a palestra A Segurança Jurídica na Negociação Coletiva. Segundo Vólia, a reforma trabalhista veio quebrar um paradigma no direito do trabalho. “A reforma colocou a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) abaixo das convenções e dos acordos coletivos, fazendo o negociado prevalecer sobre o legislado”, disse.

Para a desembargadora, a segurança jurídica começa não violando essa norma, não negociando cláusulas que vão em sentido contrário à Constituição ou a Leis Complementares. Vólia também ressaltou que é importante respeitar as particularidades de cada atividade econômica. “Cada atividade tem a sua peculiaridade. A grande mudança agora é que as cláusulas podem ser negociadas, pois não temos mais o impedimento da CLT.”

Vólia Bonfim também ressaltou que é importante reconhecer a legitimidade do sindicato com o qual se está negociando. “Ninguém melhor do que os sindicatos de cada categoria para entender a realidade econômica de cada uma. No entanto, não há segurança jurídica em negociar com um sindicato que não tem registro sindical. É preciso ficar atento em caso de mais de um sindicato se dizendo representante da categoria em questão”, finalizou.

 

Veja na galeria abaixo as fotos do Workshop


Created with flickr slideshow.

Comments

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Post new comment

The content of this field is kept private and will not be shown publicly.